Inglês Espanhol Português
Ambipar

AMBIPAR NEWS

O SEU PORTAL DE NOTÍCIA
ambiparnews > Gestão adequada de químicos e resíduos é fortalecida em El Salvador

Gestão adequada de químicos e resíduos é fortalecida em El Salvador

Gestão adequada de químicos e resíduos é fortalecida em El Salvador 13/01/2020

A gestão de resíduos é um problema persistente em El Salvador, onde cerca de um quarto dos resíduos é descartado em rios ou em outras áreas naturais. Essa é uma questão particularmente problemática para produtos químicos perigosos, como o mercúrio, que muitas vezes acaba em lixões ilegais, causando problemas de saúde para a população local e afetando o meio ambiente.

Para resolver o problema, El Salvador passará os próximos três anos fortalecendo sua estrutura reguladora nacional, atualizando substâncias proibidas e proibindo o uso de equipamentos e materiais contendo mercúrio, além de melhorar o gerenciamento de resíduos e impedir a exposição a poluentes.

A gestão de resíduos é um problema persistente em El Salvador, onde cerca de um quarto dos resíduos é descartado em rios ou em outras áreas naturais. Essa é uma questão particularmente problemática para produtos químicos perigosos, como o mercúrio, que, devido à fraca regulamentação e ao mau gerenciamento, muitas vezes acaba em lixões ilegais, causando problemas de saúde para a população local e afetando o meio ambiente.

No entanto, o governo de El Salvador está comprometido em dar passos importantes na resolução dessa questão premente e em garantir que os resíduos sólidos e os produtos químicos perigosos sejam gerenciados adequadamente. Para apoiar esse empreendimento, El Salvador está trabalhando com o Programa de Gerenciamento de Químicos e Resíduos em um ambicioso projeto de três anos para fortalecer as instituições do país e gerenciá-los com maior eficiência.

Embora El Salvador seja parte das convenções de Estocolmo, Roterdã, Basileia e Minamata, alguns países da região centro-americana ainda não ratificaram todos esses importantes tratados internacionais. El Salvador passará os próximos três anos fortalecendo sua estrutura reguladora nacional, atualizando substâncias proibidas e proibindo o uso de equipamentos e materiais contendo mercúrio, além de melhorar o gerenciamento de resíduos e impedir a exposição a poluentes.

Além disso, o Ministério do Meio Ambiente e Recursos Naturais do país tem como missão institucional recuperar o meio ambiente salvadorenho e reduzir os riscos socioambientais, promovendo uma cultura cidadã vigorosa e uma coordenação interinstitucional, liderando uma gestão ambiental pública, dinâmica, articulada e inclusiva, de maneira responsável e transparente.

Como parte deste trabalho, El Salvador criará um registro nacional de atividades da indústria, comércio e serviços que usem substâncias perigosas. Esse banco de dados estará disponível para uso por instituições governamentais, como o Ministério da Saúde, que podem autorizar e monitorar essas atividades para garantir que produtos químicos e resíduos sejam adequadamente gerenciados e descartados, além de melhorar os sistemas de vigilância e controle para tarefas que possam representar riscos ambientais.

El Salvador também trabalhará para implementar uma plataforma eletrônica que rastreie a importação e exportação de resíduos perigosos, o que ajudará as autoridades a identificar empresas sujeitas a vigilância e a manter o intercâmbio de informações entre diferentes autoridades nacionais envolvidas na autorização, controle e monitoramento da importação e exportação desses resíduos. Essa plataforma pode ser vinculada a outros países da América Central para melhorar a cooperação regional.

Embora específicos do projeto, esses dois princípios fundamentais se tornarão parte essencial do futuro gerenciamento de resíduos de El Salvador, muito além do período de três anos. Eles também farão parte do fortalecimento institucional geral de El Salvador, melhorando a cooperação entre as várias agências governamentais, como o Ministério do Interior e o Corpo de Bombeiros, e suas próprias operações internas, para garantir que o programa de gerenciamento de resíduos se torne um elemento impulsionador e sustentável da política ambiental no futuro.

Este projeto também terá um forte foco de gênero, tanto no seu desenvolvimento quanto na sua implementação. Por exemplo, ao longo do projeto, El Salvador fornecerá treinamento e conscientização sobre a importância da igualdade de gênero para todos os envolvidos em atividades ambientais. Com o apoio do Programa de Gerenciamento de Químicos e Resíduos, El Salvador também promoverá financiamento para projetos de conservação administrados ou coadministrados por mulheres.

Ao incorporar todas as partes interessadas relevantes, das mais vulneráveis ​​do país às agências governamentais mais importantes, El Salvador transformará fundamentalmente seu programa de gerenciamento de químicos e resíduos nos próximos três anos, garantindo que suas instituições sejam fortalecidas, seus protocolos amplamente melhorados e seus interesses ambientais e políticas mudem para sempre.

Fonte: ONU